Diz-me Com Quem Andas #2 Andreia Peres

Depois da estreia do “Diz-me com quem andas” com a Raquel Vareda, hoje é a vez de te dar a conhecer a querida Andreia Peres, mais uma rapariga desperta que me inspira diariamente com o seu trabalho na página Flowing Into Femininity! Ela vive actualmente em Pequim e trabalha com mulheres, suportando a sua jornada pelo sagrado feminino, dando-lhes ferramentas para se reconectarem com a sua alma e intuição, de forma a sentirem o seu poder, força, sabedoria e luz. É a criadora do I Am Podcast que podes escutar no Youtube, bem como acompanhar o seu trabalho nas suas páginas de Facebook e Instagram.

 

Alimentar a Mente, o Corpo e a Alma

 

A minha falta de cuidado com a mente, corpo e alma levou-me ao momento mais difícil da minha vida quando por volta dos meus 20 anos desenvolvi um distúrbio alimentar, mais concretamente ortorexia nervosa, que se traduz basicamente numa obsessão com comida saudável, e muitas vezes, como foi o meu caso, numa rotina de exercício excessiva. O que aparentemente estava por detrás disto tudo era o medo de engordar, fat phobia, mas honestamente não era a razão raiz.

A razão que me levou a desenvolver este distúrbio foi o meu conjunto de crenças limitadoras em relação a mim própria, ou seja, uma falta de cuidado com a mente, corpo e alma.Eu tinha medo de tudo, alimentava-me por sentimentos de comparação e inferioridade em relação a outras pessoas, não tinha qualquer tipo de ligação com o meu corpo, o meu corpo era como se fosse uma “coisa” completamente desconectada de mim, e depois ainda ficava admirada quando ele não funcionava como queria, e a minha alma, bem… essa eu ainda não tinha tido o prazer de conhecer.

Então, foi com este tumulto na minha vida que, após muita resistência, pois ao início estava convicta que não tinha qualquer problema, e que os outros é que estavam errados, me vi obrigada a reconstruir-me desde as fundações, que não tinha, até ao telhado que não conhecia. Foi um trabalho árduo, e na realidade nunca está terminado, mas hoje sinto-me uma Mulher (sim, com M maiúsculo, pois somos uma força da natureza) capaz de enfrentar qualquer coisa e com uma conexão muito forte com a energia amorosa do Universo e com a luz que existe dentro de mim. Foi uma década de muito desespero, ansiedade, transformação, empoderamento, um sair constante da minha zona de conforto para realmente perceber o meu potencial e conseguir viver o meu dia-a-dia em expansão constante dos meus limites.

Acho importante dizer que a minha história é apenas isso mesmo, uma história, que aquilo que vou partilhar funcionou comigo, mas não tem de funcionar necessariamente contigo. Sinto que o mais importante a transmitir é para nunca te comparares com ninguém, trilha o teu próprio caminho de auto-descoberta, entende os rituais e práticas que falam com a tua alma, e se o fizeres, vais conseguir sentir a autenticidade e verdade que é viver assim.

Mas sem mais demoras aqui vamos, mente!!

 

MENTE

 

Acho que as pessoas na nossa sociedade entendem mal a função da mente nas nossas vidas, o que, numa sociedade que valoriza o fazer acima do ser, também não é de admirar. Eu acho a mente uma ferramenta completamente fabulosa e brilhante, capaz das coisas mais inacreditáveis, no entanto, ela é apenas isso, uma ferramenta para colocar em prática os chamados da nossa alma. Claro que vivi na pele o que é deixar a mente reger a nossa vida, e por isso entendo o quão importante é subverter esta tendência.

Primeiro, o que posso sugerir é que entendas que tu não és a tua mente, tu és muito além da mente e que a mente precisa de muitas paragens ao longo do dia, caso contrário começas a agir através do medo e não do amor, e a pensares que as únicas ferramentas que tens para lidar com o mundo são aquilo que a tua mente consegue pensar, e isso não é verdade. Se sentes assim é porque estás desconectada da tua luz interna e energia amorosa do Universo.

Quando conseguires estabelecer dentro de ti este princípio, então, a tua mente está pronta para te servir. Ela gosta de ser estimulada, sobretudo com projetos que vêm da tua alma, ela gosta de te ajudar a expressar a tua criatividade, por isso assuntos que te façam vibrar são o melhor alimento. A mente gosta de descanso também para poder funcionar no seu melhor, por isso sempre que puderes tirar uma pausa, não continues a estimular a tua mente com as mil e uma preocupações que tens e as mil e uma coisas que tens para fazer, permite-te sentir o momento e deixa a tua mente descansar um bocadinho para conseguires repor o balanço energético do teu ser.

Isso pode ser difícil de executar se a tua mente, como era a minha, tiver um diálogo interno constante e severo, lembrando-te que não és boa o suficiente ou que nunca vais conseguir fazer, ter ou ser etc. Não deves acreditar neste diálogo, mas deves prestar-lhe atenção pois ele dá-te as pistas que precisas para perceberes as crenças que tens enraízadas em ti e que não te estão a suportar no teu caminho. Se a tua mente te diz que não és capaz, então talvez devas compreender de onde vem a tua falta de auto-estima a auto-confiança e fazer o trabalho interior necessário para substituir estas crenças por outras que te empoderem.

Afirmações são ótimas, mas apenas se estiveres num estado de profunda conexão interna, se forem ditas apenas com a mente em comando, então não têm qualquer efeito na tua vida. Gosto pessoalmente de usar a técnica Tapping ou EFT (Emotional Freedom Technique), sobretudo a técnica de Tapping interior, para trabalhar traumas ou crenças limitadores e depois, então, estou pronta para fazer as minhas afirmações.

 

CORPO

 

Relativamente ao nosso templo sagrado consegui ao longo dos anos desenvolver uma profunda ligação com ele, mas é algo que tem de ser cultivado todos os dias, pois o mundo em que vivemos estimula tanto os nossos sentidos, e as exigências intelectuais são tão grandes, que facilmente o corpo é transferido para segundo, terceiro ou quarto plano. Gosto especialmente de tirar tempo todos os dias para sentir cada centímetro do meu corpo, perceber as sensações que me percorrem, se tenho algum mal-estar, perceber onde e que emoção está associada. Depois de fazer este scan corporal, sinto-me profundamente conectada.

Todos os dias também mexo o meu corpo, passei de uma rotina de exercício extenuante em que ignorava os sinais de alerta do meu corpo para parar, para uma rotina que me empodera, em que eu me mexo de acordo com as necessidade do meu corpo naquele dia, nunca com o objetivo estético, mas sempre com o objetivo de viver com qualidade de vida o maior período de tempo possível. Gosto de praticar slow movement ou exercício somático, yoga, mas também gosto de intensidade como treino HIIT, corrida ou boxing, tudo depende de como me sinto, mais uma vez conseguir escutar o corpo é o mais importante.

Se és mulher também vais perceber que o teu corpo passa por 4 fases diferentes durante o teu ciclo lunar, e em cada fase tens necessidades e vontades diferentes. Por exemplo durante o período ovulatório estamos, normalmente, cheias de energia, conseguimos fazer tudo e ainda há energia de sobra, contudo, durante a menstruação temos os nossos níveis de energia no mínimo, mas estamos altamente intuitivas. Assim, adequar o tipo de práticas a cada altura do ciclo é super importante para uma vida equilibrada, mas se seguires os sinais do teu corpo, vais sempre saber o que fazer.

Em relação à alimentação não gosto de colocar rótulos em nada, não sou carnívora nem vegetariana, sou a Andreia que escolhe comer maioritariamente refeições baseadas em plantas e cereais, mas que ocasionalmente, quando o corpo dá sinal, e normalmente é quando estou a menstruar, come carne e derivados. Gosto mais uma vez, de seguir os sinais do meu corpo e, apesar de não haverem alimentos proibidos, quando desejo comer, por exemplo, nachos que adoro, penso para comigo “o que tem este alimento que o meu corpo está a precisar? … Ok, gordura!” Então substituo por nozes ou outro fruto seco e dou ao meu corpo algo nutritivo em vez de calorias vazias. Mas se realmente acabar por comer nachos, porque também sabe bem de vez em quando, não me fico a culpar por isso, tudo na vida se resume a equilíbrio.

 

A ALMA

 

Hmm, a alma! A nossa luz guia interior que sabe sempre exatamente o que precisamos. Como disse no início, não sabia o que isto era, pensava que era algo muito woo woo, demasiado místico para os meus 20 anos. Depois passei por um período em que devorei tudo o que era livros de auto-ajuda, e claro, eles falavam sobre a alma e eu entendi o conceito, achava eu. Na verdade não tinha entendido coisa nenhuma, era apenas conhecimento na minha mente, nada mais.

Até que aos meus 29 anos tive a primeira grande epifania da minha vida. Para quem segue astrologia sabe que os 29 anos são o nosso retorno de Saturno, quando não estás a viver o teu propósito, a Vida trata de te pôr no caminho certo, é um assumir responsabilidade pela nossa vida, e foi, de facto o que aconteceu comigo. Um novo leque de cores abriu-se para mim e tive necessidade de parar com todas as leituras e cursos que fazia, sentia-me esgotada, não conseguia abarcar mais com conhecimento, era tempo de parar de procurar no exterior e iniciar a minha aprendizagem interior, e foi realmente o que fiz.

Hoje vivo em Pequim, mas na altura que isto aconteceu estava a viver no Algarve, com um estilo de vida bastante relaxado e rodeada de natureza pelo que aproveitei a oportunidade para contemplar a natureza todos os dias… ela ensinou-me a sentir novamente, as árvores tornaram-se as minhas melhores amigas, sentia quando elas falavam comigo… aos poucos consegui sentir o ritmo da vida, o ritmo da terra, e depois consegui sintonizar-me com esse mesmo ritmo dentro de mim. Nestes 3 anos que passaram aprofundei o contacto com o divino que há em mim, aprendi a escutar a minha intuição, pois ela está sempre certa. A cada dia que passa incorporo um pouco mais as verdades essenciais da minha alma e da alma de todos nós… incorporo mais abundância, mais prosperidade, mais amor, mais saúde e mais possibilidades.

Engraçado, antes quando fazia as minhas afirmações costuma dizer algo do género: “Eu tenho abundância e prosperidade, eu atraio para minha vida infinitas possibilidades”. Até já é estranho pensar desta forma, a verdade é que numa das minhas meditações este ano caiu-me a ficha sobre isto:

 

Eu não tenho abundância nem prosperidade, eu SOU abundância e prosperidade, essas qualidades existem já ao nível da minha alma, a única coisa que necessito de fazer é todos os dias limpar e libertar aquilo que ainda me prende ao meu ego, deixar ir os traumas, situações e pessoas que não me servem mais, que já não estão alinhadas com o meu propósito, basicamente, criar espaço para que estas características sejam incorporadas para depois, então, se manifestarem no plano físico. Foi muito profundo para mim a realização desta verdade!

 

Resumidamente aquilo que vos desejo em relação à vossa alma é que dediquem tempo todos os dias para a conhecerem, ninguém pode fazer isso por vocês! O trabalho interior é algo muito pessoal e único, é muito desafiador e tempestivo por vezes, sobretudo quando se está a fazer uma libertação intensa de padrões do passado e traumas, mas vale tudo a pena! O facto de viverem guiados e sintonizados com a vossa luz interior é a maior bênção que pode existir! Podia continuar a escrever infinitas paginas, pois há tanto para partilhar, mas espero que este bocadinho vos inspire o coração para se amarem mais e procurarem essa luz interna que nunca se apaga!!

7 comentários
  • Patrícia Zen
    Responder

    Lindo, lindo!! Obrigada Sara por teres convidado a Andreia, que é uma luzinha maravilhosa. E obrigada Andreia pelo teu testemunho. E já aprendi mais qualquer coisa, essa dos 29 anos… caramba, então não é mesmo?? ahah Beijinhos às duas com muito carinho.

    • Sara
      Responder

      Obrigada Patrícia! E sim, isso dos 29 anos é mega creepy… Porque eu também mudei tanto aos 29!! Foi o ano que revolucionei a minha alimentação e, com junto com ela, a minha maneira de pensar…

      • Andreia
        Responder

        Obrigada querida Patrícia. Fico tão contente de ter tocado o teu coração. Simm, os 29 anos são um marco. Quem está já alinhado com o seu propósito não sente muito mas quem nao estava (EUUUU) sente muito, a vida dá te mesmo uma grande volta. Também sentiste algo na tua vida?

  • Responder

    Depois de ler o texto da Andreia pus-me a pensar nos 29 anos. Damn! Tão certeiro que até me arrepia! E depois vi os vossos comentários, e não consigo deixar de pensar que realmente a vida tem coisas fantásticas… Adorei! Uma mega inspiração. Obrigada Sara por teres proposto este desafio à Andreia, e a ti, Andreia, por me inspirares todos os dias, e teres-me dado a conhecer mais um pouco da linda pessoa que és.

    • Sara
      Responder

      Grata por todo o carinho, Joana! Eu já tinha uma noção de que por volta dos 30 anos era o nosso ascendente que passada a ser predominante mas o pormenor dos 29 foi em cheio 😉

      • Andreia
        Responder

        Lindaaa. Obrigada eu por poder partilhar mais um bocadinho da minha história e tocar o teu coração. O que sentiste de mais transformador nos teus 29anos?

        • Andreia
          Responder

          Aos 29 é o nosso retorno de Saturno, Saturno é o planeta da responsabilidade por isso ele vem basicamente check on us, ver se estamos no caminho certo…se não estivermos ele poe nos a trabalhar. Agora eu para além disso ainda tenho Saturno como.planeta regente do meu signo… o sentido de responsabilidade e crescimento está muito impregnado em mim. Chega a ser demasiado muitas vezes.
          Obrigada querida Sara por me dares a oportunidade de partilhar um bocadinho da minha história. ✨

Deixa um Comentário

Start typing and press Enter to search