O Poder Do Teu Signo Solar

Por Sara

Até parece estranho estar a falar do Sol. Isto porque eu falo muito sobre a lua, é um facto. Desde que me comecei a conectar com ela apercebi-me da relação entre os ciclos da Natureza e a nossa vida ou, como diz a Lei Hermética da Correspondência, que “o que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima”.

Esta nova consciência levou-me a querer saber mais sobre astrologia, de forma profunda, algo que nunca tinha pensado em fazer antes. Embora o tema sempre me tenha interessado, desde miúda, havia algo naqueles tristonhos horóscopos de revista que me levava a pensar que era tudo uma grande fantochada. Além disso, as descrições que encontrava sobre o meu signo solar não tinham nada a ver comigo! Who’s with me?

Eis senão quando, por puro acaso/destino, tive contacto através das redes sociais com aquela que se viria a tornar a minha professora de astrologia, a maravilhosa Rafaela Pedrosa. Meu! Nunca tinha ouvido falar do zodíaco de forma tão profunda e ao mesmo tempo esclarecedora! Neste misto de psicologia e simbolismo, apercebi-me de padrões lógicos e comecei a comprovar a sua veracidade. No entanto, houve algo que ela disse, de forma absolutamente casual, que revolucionou a minha vida para sempre. Foi qualquer coisa como:

 

O nosso mapa astral indica o nosso caminho.

 

E caiu-me a ficha. Pois claro, a resposta estava no próprio nome! Mapa, óbvio que se chama mapa porque indica o caminho, duh! Mas eu nunca tinha parado para pensar nisso antes… Que alivio, perceber que a nossa carta astrológica não é uma sentença predestinada mas sim um mapa do tesouro, repleto de preciosidades que precisamos desenterrar em nós, ao mesmo tempo que nos mostra exactamente onde estão os obstáculos que temos que ultrapassar.

E posso-vos dizer, tendo já estudado bastante sobre diversas temáticas no campo do desenvolvimento pessoal, que esta tem sido, sem dúvida, a melhor e mais completa ferramenta de autoconhecimento com que me deparei até hoje.

 

A caminho do sol

 

Entre muitas outras coisas, que deixo para os próximos episódios, o nosso Sol, o nosso signo “principal”, não tem que fazer (nem faz) sentido para a maioria das pessoas. Na verdade, grande parte de nós anda bem afastado da energia do seu Sol, pelo menos nas suas vibrações mais elevadas. E muitas vezes não nos conseguimos identificar de caras com ele porque é exactamente aquela parte de nós que está em carência e precisa de vir à tona para encontrarmos o verdadeiro equilíbrio.

O Sol é a estrela-guia que indica o nosso caminho, a “luz ao fundo do túnel”. Ele revela a nossa essência, a nossa chama interior, e incorporar a sua energia na nossa vida é cumprir o nosso chamado. O nosso signo solar trás consigo a nossa maior aprendizagem, indica aquilo que viemos aprender a ser e a manifestar. Viver o nosso Sol em plenitude é criar em consciência, é estar presente no momento mas com o olhar posto do futuro e ver com clareza como podemos servir o mundo a partir do nosso coração.

 

O signo ascendente

 

Se sabes a hora a que nasceste e tens acesso à internet, o que suponho que tenhas porque me estás a ler neste momento, é provável que já tenhas calculado o teu mapa astral (tenhas ficado com os olhos em bico com tanto símbolo e informação que não consegues descodificar) e tenhas descoberto qual o teu signo ascendente. E aí sim, achaste o teu match! “Ah, agora sim, eu identifico-me é com esta descrição! Há algum mal nisso?”

Mal nenhum. É normal que consigas manifestar as energias desse signo com grande facilidade, especialmente se tens mais de 29/30 anos, porque ele representa a tua personalidade, o personagem que encarnas na Terra, a forma como gostas de ser percebido pelos outros – o teu ego. E devemos rejeitar o nosso ego? Hell no! Precisamos dele para viver em sociedade. Importa é utilizá-lo da melhor forma, com vista a servir o nosso propósito de vida, e não os nossos propósitos ego-istas. E isto tudo sem tirar os olhos do nosso Sol.

 

O melhor dos signos

 

Drum roll, e o vencedor de melhor signo do zodíaco é…

EEENNKK! Nem adianta entrar em discussões sobre como **inserir signo** é o melhor ou o pior do mundo! Isto porque, em primeiro lugar, temos presentes as energias de todos eles nos nossos mapas e nas nossas vidas e, em segundo, porque não existem signos melhores que outros, o que existem são as versões mais baixas ou elevadas de cada um deles.

Durante o nosso processo de evolução pessoal passamos frequentemente pelas suas versões distorcidas, manifestando só os “defeitos”, e daí a importância de compreendermos quais são as vibrações mais altas do nosso signo de modo a podermos incorporá-las na nossa vida. Por exemplo, um ariano (carneiro) não tem que ser bruto, egoísta e impaciente – ele pode, e deve, ser um líder, corajoso e inovador.

 

A importância da astrologia

 

Astrologia é o (re)conhecimento do mundo e de si mesmo. É identificar energias arquetípicas, compreender eixos e polaridades, recordar o poder dos quatro elementos e, no final, alcançar o verdadeiro significado da célebre frase “Somos Todos Um”.

 

“A astrologia representa a soma de todos os conhecimentos psicológicos da antiguidade”

Carl Jung

 

Vivemos numa era lunar, com grandes apegos ao passado. Se cada um de nós conhecesse e vibrasse na mais alta frequência do seu Sol, o mundo seria completamente diferente. Não só estamos cada vez mais afastamos dele fisicamente, ao estarmos fechados em edifícios todos os dias e evitarmos a exposição solar por medo de doenças, como estamos profundamente desligados do nosso Sol interno, do nosso coração.

Por isso, vamos saudar o Sol todos os dias! Façamo-lo quando efectuamos uma série de Surya Namaskar na nossa prática de yoga, quando nos banhamos com a sua luz por alguns minutos, sem protector solar e ao meio do dia (SIM!) para absorvermos a Vitamina D e a sua Energia Vital, e também quando nos recordamos todos os dias sobre a forma como estamos, ou não, a servir o nosso Sol Interno. Acreditando que, por mais distante e inacessível que nos pareça, ele está a nosso favor, os desafios que nos trás são para o nosso crescimento e que ele já está dentro de nós, pronto para nos inundar com o seu brilho, generoso e benevolente, e iluminar o nosso caminho.

O que te está a afastar do teu Sol? Quais são as maiores dificuldades que tens em lidar com a sua energia? Gostavas de saber com vibrar nas mais altas frequências do teu signo? Deixa o teu comentário e conta-me tudo!

12 comentários
  • Patricia Zen
    Responder

    GOSTEI MUITO!!! Estavas inspirada miúda, adorei. Sempre achei que tinha um pouco de signo solar e de ascendente e que seriam contraditórios mas tens ensinado muito com as tuas aprendizagens! Eeheh obrigada 🙂

    • Sara
      Responder

      Obrigada Paty, ainda bem que tens aprendido algumas coisas 😉 Este é o tipo de texto que gosto de escrever somente após compreender profundamente o significado do tema, ainda que eu própria esteja a batalhar para viver mais à luz do meu Sol (capricórnio) e por isso precise de artigos estruturados e sérios – mas sempre com humor, como o meu ascendente (sagitário) pede!

  • Isabel
    Responder

    …taran estava tão embrenhada na leitura e de repente acabou mais um tema interessante e que me deixou curiosa,espero que continues…

    • Sara
      Responder

      Claro que sim, a aventura pela astrologia ainda agora começou… Madame Sarita está cá para as curvas! 😀

  • AP
    Responder

    boa, querida Sara! fiquei curiosa… só não sei a q horas nasci num longínquo 10 de Setembro. e quem estava comigo já não está para contar…

    • Sara
      Responder

      Quando não se consegue mesmo ter acesso à hora, costuma utilizar-se as 12h (meio-dia) como padrão, embora altere alguns factores, nomeadamente o ascendente, mas é possível ficar com uma ideia do Céu do momento.

      De qualquer modo, a simples interpretação com base no signo solar, neste caso em Virgem, já ajuda a entender o teu chamado! A energia deste signo é muito humilde, minuciosa e bastante ligada à Natureza. Na sua versão distorcida, pode levar a um extremo perfeccionismo e necessidade de controlo, o que pode ser muito prejudicial para a saúde e é algo a teres em mente. A forma do contornar é fazendo sobressair em ti as energias mais elevadas do teu signo oposto e complementar que é Peixes, aprendendo a confiar na ordem universal dos acontecimentos, no desenrolar da vida, acreditando que existe algo maior que nos guia e protege 🙂

  • Ana Cargaleiro
    Responder

    Madame Sarita cheira me a que qualquer dia estás a fazer mapas astrais para oferecer a malta no Natal
    Gostei muito e já agora vê lá se tenho algum jeito para a agricultura . Beijinhos

    • Sara
      Responder

      Que bela ideia a das prendas 😀 Mas para isso é preciso saber dados de nascimento como o local e hora exacta. Em relação à agricultura, é possível! Não pelo carneiro, mas talvez o ascendente ajude 🙂

  • Andreia
    Responder

    Muito interessante mesmo..e também ja aprendi muito contigo sobre mim própria através da interpretação do mapa astral. Às vezes pequenas coisas fazem uma diferença enorme no nosso caminho.

    • Sara
      Responder

      Fico feliz em poder ajudar, de coração. A astrologia tem-se revelado uma janela escancarada para a nossa essência. Chega a ser assustador o quando precisa é!

  • Cecilia Aguiar
    Responder

    Grata pelo artigo simples e de leitura fácil mas esclarecedor.
    Aproveito para dizer que tenho sol em peixes na casa 12, onde está acompanhado por saturno, marte e pelo kiron, O ascendente em carneiro também acompanhado por mercúrio . Estas energias quase antagónicas de peixes vs carneiro por vezes são difíceis de conciliar se bem que acho que o ascendente tem sido o meu maior aliado para o meu percurso e crescimento pessoal.
    Achei curioso o comentário de que um virgem (onde tenho a lua na casa 6) precisa da energia do seu oposto peixes. Pois tenho um relacionamento com uma pessoa com sol em virgem na casa 5 e ascendente em touro e este relacionamento, não sendo fácil é como se tivesse um íman fortíssimo. Faz sentido?
    Felicidades e muito sucesso

    • Sara
      Responder

      Olá Cecília e obrigada pelo feedback! Quanto à relação com um virginiano, e sendo que ainda não estudei sinastrias, o que te posso deixar são umas questões para reflectires… Costuma-se dizer que os opostos se atraem, certo? Porque será? Será que espelham uma parte de nós que não conseguimos ver e precisamos que o outro traga à tona?

      Quando digo que uma nativa de peixes, como tu, precisa da energia de virgem não me refiro que devas procurar essa energia no exterior mas sim no teu interior. Ela existe dentro de ti e, como uma balança, precisa de estar em equilíbrio! Há muitos virginianos a vibrar mais numa energia de peixes e vice-versa (veja-se o Freddie Mercury e o Michael Jackson, ambos virginianos) porque estão em desequilíbrio.

      Em relação ao ascendente, é normal que te sintas mais confortável nesse registo, mas é importante que tentes conciliar essa energia pisciana com a de carneiro e também com a da tua lua, fazendo um mix só teu, pessoal e intransmissível, mas sempre nas mais altas vibrações de cada signo 😉

Deixa um Comentário

Start typing and press Enter to search